Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Philips vai indenizar por contaminação

Ex-empregados da fábrica da Philips em Mauá, que foi fechada em 2010, conquistaram vitória na Justiça. O MPT-SP (Ministério Público do Trabalho de São Paulo) firmou acordo com a multinacional holandesa para que a empresa pague R$ 20 milhões a, pelo menos, 145 ex-funcionários que foram contaminados por mercúrio durante a produção de lâmpadas fluorescentes na unidade. Obriga ainda a companhia a custear plano de saúde vitalício aos afetados e a doar cerca de R$ 4 milhões em equipamentos ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), que possui equipe para diagnóstico e estudo do mercurialismo (intoxicação por esse metal). O acordo sai após anos de brigas na Justiça. O inquérito civil que deu origem à ação do MPT foi instaurado em 2006, a partir de denúncia da AEIMM (Associação Brasileira dos Expostos e Intoxicados por Mercúrio Metálico). Investigações apontaram que, em 1992, a empresa havia reconhecido a contaminação de alguns trabalhadores, se compr…

Intoxicação por carne de baiacu possui alta taxa de mortalidade

Obaiacu ou peixe-bola (pufferfish, boxfish) é um peixe ósseo de distribuição cosmopolita. Existem cerca de 120 espécies e a maioria destas é encontrada em regiões tropicais e subtropicais, incluindo espécies fluviais. Quando ameaçados por predadores, estes peixes podem ingerir água ou ar e aumentar o volume corporal, tomando formato esférico, o que dificulta a ação de peixes maiores.
Adicionalmente, são considerados animais venenosos devido ao fato de poderem armazenar tetrodotoxina (Ttx) e outras neurotoxinas. A Ttx é toxina letal provavelmente sintetizada pelas bactérias contidas nos alimentos ingeridos pelos peixes.

“Ela é acumulada e utilizada como arma de defesa”, explica Vidal Haddad Junior, professor do Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu, e autor de diversos trabalhos científicos sobre o tema.

“Mais do que relatar casos ou fazer discussões acadêmicas, as pesquisas têm por finalidade mostrar que não é só no Japão que pessoas morrem por come…

Lançamento do livro Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde

Depois de causar grande impacto em 2012, o Dossiê Abrasco sobre Agrotóxicos ganha nova edição – o lançamento será dia 28 de abril, terça-feira às 18h00, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). O lançamento celebra duas importantes datas para o Movimento: Dia Mundial da Saúde, comemorado em 7 de abril e que neste ano trouxe a segurança alimentar como tema e os quatro anos de existência da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida.
A publicação, com mais de 600 páginas, colorida e ilustrada, reúne as três partes revisadas do Dossiê Abrasco lançadas ao longo de 2012, além de uma quarta parte inédita intitulada “A crise do paradigma do agronegócio e as lutas pela agroecologia”. O livro é uma co-edição da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fiocruz, e da editora Expressão Popular.
Este capítulo inédito, concluído em outubro de 2014, foi dedicado à atualização de acontecimentos marcantes, estudos e decisões políticas, com informações que envolvem os agrotó…

Inca recomenda redução do uso de agrotóxicos para prevenir câncer

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) manifestou-se no dia 08/04 contra o modo como os agrotóxicos são utilizados no Brasil e recomendou a redução do uso desses produtos. Em um documento de cinco páginas, o instituto ressaltou os riscos dessas substâncias para a saúde e para a incidência de câncer. "O modelo de cultivo com o intensivo uso de agrotóxicos gera malefícios, como poluição ambiental e intoxicação de trabalhadores e da população em geral", diz o documento, que, além de apontar as intoxicações causadas imediatamente após a exposição [ao produto], enumera efeitos que aparecem após anos de exposição. "Dentre os efeitos associados à exposição crônica a ingredientes ativos agrotóxicos podem ser citados infertilidade, impotência, abortos, malformações, neurotoxicidade, desregulação hormonal, efeitos sobre o sistema imunológico e câncer." A recomendação do instituto é que se adote "a redução progressiva e sustentada do uso de agrot…

Intoxicação mata mais de 350 mil pessoas por ano, segundo OMS

Genebra - Novos dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam o problema mundial e crescente da intoxicação alimentar. O órgão divulgou, nesta semana, números mostrando que, anualmente, 582 milhões de pessoas adoecem e, destas, 351 mil morrem por ingerirem alimentos contaminados. As regiões mais afetadas são África e o Sudeste Asiático. Mais de 40% dos doentes são crianças com menos de 5 anos.
“A produção de alimento foi industrializada e seu comércio e distribuição foram globalizados”, afirma a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, em comunicado. “Estas mudanças trazem várias novas possibilidades de o alimento vir a ser contaminado com bactérias, vírus, parasitas ou substâncias químicas. Um problema local de segurança alimentar pode rapidamente se tornar uma emergência global”.
A contaminação pode causar mais de 200 tipos de doenças, desde diarreia a câncer. Os principais agentes são Salmonella typhi, E. coli e norovírus. Exemplos de opções inseguras incluem alimentos de origem a…