Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Exposição alerta sobre o risco de envenenamento

Referência na área de toxicologia para o Nordeste, o Centro Antiveneno da Bahia (Ciave) promove uma série de ações educativas e científicas como parte da 2ª Semana Estadual de Prevenção às Intoxicações. O objetivo é orientar a população sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento de intoxicações e envenenamentos.

Uma das atividades realizadas pelo órgão, que é vinculado à Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), foi uma mostra dos principais agentes causadores de  lesões tóxicas. Entre eles, produtos de limpeza, inseticidas de uso doméstico, raticidas clandestinos, algumas plantas e animais.

Durante a exibição, nesta terça-feira, 30, na recepção do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), no bairro do Cabula, pacientes e visitantes da unidade de saúde receberam materiais educativos e a orientação de especialistas.

O coordenador técnico do Ciave, Jucelino Nery, chamou a atenção para os crescentes casos de intoxicações ocorridos em ambientes doméstico. "Produtos de uso doméstico s…

Experiência do Núcleo de Prevenção do Suicídio do Ciave será apresentada em congresso latino americano

A psicóloga Soraya Carvalho, coordenadora do Núcleo de Estudo e Prevenção do Suicídio (NEPS), serviço do Centro Antiveneno da Bahia (Ciave), participará do VII Congresso de Suicidologia da América Latina e Caribe, que será realizado no Chile, de amanhã (1º) até o próximo dia 3, sábado. No primeiro dia do evento, durante mesa-redonda composta por representantes da Associação Brasileira para o Estudo e a Prevenção do Suicídio (ABEPS), a representante do Ciave fará uma apresentação sobre o tema "O suicídio e a (des) ordem médica".

O NEPS é um serviço desenvolvido pelo Ciave na prevenção de suicídios e redução de reincidências destes eventos. A equipe do núcleo é formada por enfermeira, psicólogas, terapeutas ocupacionais, psiquiatras e estagiários de Psicologia, que atende pacientes de todas as idades. O acesso a esse serviço se dá através de demanda espontânea ou por casos de tentativa de suicídio identificados em emergências.

Evitando reincidências

As atividades do núcleo foram …

Exposições e seminário nos 36 anos do CIAVE

Considerado referência na área de toxicologia para todo o Nordeste, o Centro Antiveneno da Bahia (Ciave), unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), completa 36 anos de funcionamento no próximo dia 30, data em que também transcorre o Dia Estadual de Conscientização para a Prevenção da Intoxicação por Substâncias Químicas, instituído através da lei 9.205, de agosto de 2004.

Contabilizando, durante o ano passado, cerca 7.300 atendimentos, sendo 65% dos casos ocorridos em ambiente doméstico, o Ciave presta assistência a pacientes e orientação toxicológica especializada a profissionais de saúde, em plantões ininterruptos. Do total de atendimentos registrados no ano passado, 43 % foram por acidentes com animais peçonhentos, 24% por intoxicações por medicamentos e 6% por agrotóxicos de uso agrícola.

Em comemoração aos 36 anos de serviços prestados pelo Ciave à saúde da população, acontece a 2ª Semana Estadual de Prevenção às Intoxicações, de 27/08 até o próximo dia 1º de setembro, com …

Conheça o risco silencioso de se morrer no banho

Um casal de namorados, estudantes do curso de Química da UFRJ, foi encontrado morto, em uma casa, na cidade de Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, na última terça-feira (23). Segundo o laudo do IML (Instituto Médico Legal), Maira Nuldeman, de 23 anos, e Rafael de Paula Campos, de 20 anos, morreram por conta de uma intoxicação por gás. Os dois estavam nus e abraçados dentro do box.

A inalação de gases perigosos leva à morte em poucos minutos e não dá chance de defesa às vítimas. Uma ventilação adequada do ambiente e cuidados com a instalação e manutenção dos aparelhos à gás, como aquecedores, e fogões com botijão de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo, são fundamentais para evitar mortes.

A Asmirg-BR, associação Brasileira de Revendedores de GLP, fez um alerta ao Ministério Público Federal para que sejam adotadas medidas extras de orientação para os consumidores e usuários de locais onde existem botijões e aparelhos à gás. "Deveria ter uma indicação mais clara e direta sob…

Dialogando sobre intoxicações: da prevenção à assistência

A Escola Estadual de Saúde Pública Professor Francisco Peixoto de Magalhães Netto (EESP) promoverá sessão temática sobre o tema: "Dialogando sobre intoxicações: da prevenção à assistência".

O evento será realizado no dia 1 de setembro, das 13h30 às 17h, no auditório da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), localizado na Avenida Vasco da Gama, s/n, (entrada do HGE). O período de credenciamento dos participantes será 13h30 às 14h.

A sessão tem como público-alvo: estudantes, profissionais, trabalhadores, professores e gestores da saúde e/ou aqueles que, porventura se interessem pelo tema apresentado.

A sessão será conduzida pelos seguintes palestrantes: Daniel Santos Rebouças, diretor do Centro Antiveneno da Bahia (Ciave), médico cardiologista e toxicologista e Jucelino Nery da Conceição Filho, coordenador técnico do (Ciave), farmacêutico coordenador do Programa Nacional de Controle de Acidentes por Animais Peçonhentos na Bahia

As inscrições são exclusivamente pr…

Mato Grosso do Sul: “Jardim venenoso” na capital reúne espécies tóxicas de todo o estado

Quem vê as simpáticas flores amarelas que compõem a mascagnia pubifora, nome técnico do cipó prata, nem imagina que elas são capazes de provocar morte súbita em dezenas de bois. A toxina da plantinha, que parece inocente à primeira vista, para o coração dos bichos assim que eles começam a se movimentar. Essa é apenas uma das 28 espécies que compõe o Campo Agrostológico de Mato Grosso do Sul, que fica na Faculdade de Veterinária da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul). “Aqui criamos plantas de interesse pecuário, com potencial de causar prejuízos por intoxicação em rebanhos no estado”, explica Ricardo Antônio Amaral de Lemos, professor de Medicina Veterinária. Lemos é responsável pelo projeto, o primeiro do Estado e um dos maiores acervos do gênero do Brasil, que começou em 2012. “A ideia é avaliar os componentes tóxicos da planta, averiguar se há mudanças conforme o exemplar é transportado, ou se há uma fase em que elas ficam mais perigosas”, conta Ricardo. Em época de queim…