Pular para o conteúdo principal

Incêndio em depósito de fertilizante provoca estado de emergência em São Francisco do Sul-SC

Foto: Arcanjo/Corpo de Bombeiros de SC
Em decorrência do incêndio que começou entre 22h e 23h da noite de terça-feira (24/09) em carga de fertilizante no armazém da empresa Global Logística, em um terminal marítimo localizado na BR-280, em São Francisco do Sul, o governador de Santa Catarina decretou situação de emergência no município.

O local armazena 10 toneladas de nitrato de amônia, cuja oxidação produz uma fumaça densa, que se respirada causa irritação em pele, olhos e vias respiratórias. A Defesa Civil municipal estabeleceu um perímetro de segurança de 800 metros de raio a partir do acidente.

Mais de 200 bombeiros trabalham no combate ao incêndio, que não produz chamas. Foram removidos contêineres ao redor para facilitar o acesso de grandes equipamentos de combate, e ao telhado do galpão. O objetivo é resfriar o produto. "O nitrato de amônia, por si só, é considerado estável. Caso aquecido, pode tornar-se explosivo", explicou na coletiva o gerente de produtos perigosos da Defesa Civil, major dos Bombeiros Geovane Matiuzzi.

De acordo com informações do serviço de comunicação social do Corpo de Bombeiros, pelo menos 70 pessoas tiveram de ser atendidas por respirar a fumaça, sendo liberadas em seguida. Segundo o major Matiuzzi, os efeitos do gás formado no processo de oxidação são parecidos com os do gás lacrimogêneo, por isso não são considerados letais quando inalados. O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Marcos Oliveira, afirmou que o perigo é com a inalação direta e em grande quantidade. "Para evitar contaminação, as pessoas foram retiradas logo no início."

Nas primeiras horas do incêndio, a população assustada começou a deixar a cidade, causando trânsito nas vias internas e na BR-280, que liga São Francisco do Sul a Joinville. O acesso ao município foi bloqueado. A prefeitura recomenda que quem já está fora, não tente voltar enquanto a situação não for resolvida.

A Defesa Civil removeu as famílias dos bairros mais atingidos: Paulas, Iperoba, Reta e Sandra Regina. Cerca de 400 pessoas estão em um abrigo instalado em uma escola estadual que fica na entrada da cidade.

As aulas nas unidades da rede estadual em São Francisco do Sul e nas cidades vizinhas de Garuva e Itapoá foram suspensas até sexta-feira, 27. Os bombeiros ainda atuavam no local, sem previsão de término da operação, até o fim da noite dessa quarta-feira (25/09).

Segundo informação do meteorologista Marcelo Martins, da Epagri/Ciram - empresa que monitora as condições climáticas em Santa Catarina, há uma pequena possibilidade de a fumaça chegar à capital paulista. "As chances são remotas, mas não descartamos", afirma Martins.

A nuvem de fumaça formada na explosão caminha em direção ao norte do Estado a uma velocidade de 25 km/h, devendo atingir a região sul de São Paulo no início da noite da quarta-feira (25/09).

O especialista disse que "grande parte dessa fumaça vai ser levada para o oceano, mas que ainda assim deve sobrar um resquício no continente", principalmente no litoral do Paraná e sul do Estado de São Paulo. No entanto, a maior preocupação é com o período da noite, quando os ventos devem mudar mais uma vez de direção. "Os ventos podem soprar de forma perpendicular à costa, trazendo a fumaça para dentro do continente", alerta Martins.

Se a previsão se confirmar, as cidades de Curitiba (PR) e Joinville (SC) podem ser atingidas. A nuvem de fumaça começou a ser formada por volta das 23h da terça-feira (24), quando iniciou um incêndio em um depósito de fertilizante da empresa Global Logística, no terminal marítimo de São Francisco do Sul.

A fumaça contém nitrato de amônia, disfosfato de amônia e cloreto de potássio, e pode provocar irritação nos olhos, dor de garganta e tontura. A Prefeitura de São Francisco do Sul divulgou uma nota oficial afirmando não haver feridos graves na cidade. Entretanto, cerca de 70 pessoas foram atendidas na rede de saúde do município e 150 famílias foram retiradas de suas casas pela Defesa Civil, para evitar exposição à fumaça.

Fonte. Estadão. Leia mais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Intoxicação por pó-de-mico

Continua um mistério a causa do surto que ocorreu no mês de março no município de Apuarema, interior da Bahia. A história teve início no dia 21/03, na Escola Municipal Aurino Nery, quando diversos alunos da oitava série manifestaram sinais de prurido na sala de aula causando uma pequena aglomeração naquele estabelecimento de ensino. Cerca de oito alunos manifestaram esses sinais na sala, saíram para o pavilhão e entraram em contato com turmas vizinhas  que acabaram manifestando os sintomas de prurido e urticária. O evento ocorreu se repetiu alguns dias depois. Ao todo foram mais de 40 crianças acometidas. Algumas apresentaram cefaléia. O colégio foi fechado temporariamente pela secretaria municipal de educação. As aulas foram retomadas no dia primeiro de abril sem indícios de um novo incidente. Suspeita-se que alguém tenha introduzido no local alguma substância. Pensou-se na possibilidade de ter sido “pó-de-mico”. O “pó-de-mico” consiste em tricomas (semelhante a pêlos) que recobrem as…

Ciave alerta para aumento do risco de acidente escorpiônico e fake news

Na Bahia, em 2018, ocorreram 24.714 casos de acidente por animais peçonhentos, de acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan, com 188 ocorrências em Salvador. Entre eles, o acidente escorpiônico predominou com 18.985 (76,8%), dos quais 47 se deram na capital.
No ano passado, o Centro de Informações Antiveneno – Ciave registrou o atendimento de 2.425 casos de escorpionismo. Já nessa primeira quinzena de janeiro, o Centro registrou 127 casos, 10% a mais que o mesmo período em 2018, com uma média de 9 ocorrências por dia.
Segundo Jucelino Nery, diretor do Ciave e coordenador estadual do Programa de Controle de Acidentes por Animais Peçonhentos, os acidentes escorpiônicos tiveram em 2018 um aumento de 22%, em relação ao ano anterior. Além do clima, o crescimento desordenado das áreas urbanas, a falta de saneamento básico, o desmatamento e o acúmulo de lixo, entulhos e restos de material de construção fazem com que os escorpiões procurem abrigo e alimento (insetos…

Águas vivas começam a aparecer em maior quantidade em Itajaí

Quem aproveitou a manhã de quarta-feira para caminhar pela areia da Praia da Atalaia em Itajaí teve que desviar de águas vivas. Os organismos marinhos surgiram aos montes e deixaram a areia coberta. Apesar de causarem preocupação aos banhistas, as encontradas ali não provocam as populares queimaduras, que na verdade são um tipo de envenenamento. De acordo com o Corpo de Bombeiros a espécie presente na Atalaia é a racostoma atlanticun, que não queima. Isso, porém, não significa que os banhistas devem ter contato com o animal marinho. Isso porque é difícil identificar se uma água viva é nociva ou não. Coordenador de praia da corporação e oceanógrafo, o soldado Daniel Ribeiro explica que só especialistas conseguem identificar quais espécies causam queimaduras e que algumas se assemelham muito as racostoma, mas queimam. Ribeiro explica que o surgimento das águas vivas perto da costa ocorre em função de uma série de fatores naturais. Um deles são as correntes marinhas que transportam os orga…