Pular para o conteúdo principal

NEPS capacitará profissionais dos CAPs para atenção a pessoas em risco de suicídio

No ano em que completa 10 anos de funcionamento, o Núcleo de Estudo e Prevenção de Suicídio (NEPS), um serviço do Centro Antiveneno (Ciave), da Secretaria da Saúde da Saúde do Estado (Sesab), elaborou o Programa Estadual de Prevenção do Suicídio/Bahia, antecipando-se ao Plano Nacional, previsto para ser lançado no próximo mês de setembro. Entre as principais ações e políticas do Programa elaborado pela equipe do NEPS estão a implantação de 10 Núcleos Regionais de Estudo e Prevenção do Suicídio - NEPS/Regional, seguindo o modelo do NEPS Estadual, e a implantação de um Programa de Educação Permanente.

Para alcançar esse objetivo, o NEPS dará início ao I Curso de Intervenção Multidisciplinar na Atenção a Pessoas em Risco de Suicídio, destinado a profissionais lotados nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) de Salvador, com a finalidade de instrumentalizá-los tecnicamente para a intervenção juntos aos usuários acompanhados nessas unidades.

Inicialmente serão contemplados profissionais da cidade de Salvador, divididos em dois grupos. A primeira capacitação ocorrerá no próximo dia 9, das 8 às 18 horas, no auditório da Faculdade Baiana de Medicina e Saúde Pública, no Campus do Cabula. O segundo curso será em outubro. Para os profissionais dos CAPS do interior do Estado, o treinamento será a partir do próximo ano.

Segundo a psicóloga e psicanalista Soraya Carvalho, idealizadora e coordenadora do NEPS, a capacitação tem como principal objetivo oferecer informações teóricas e práticas sobre o suicídio e discutir manejos técnicos do paciente em risco de suicídio nas diversas áreas da assistência: psicologia, psiquiatria, terapia ocupacional, enfermagem, serviço social, dentre outras, visando instrumentalizar os profissionais da saúde mental a desenvolverem uma abordagem com esses pacientes, "baseada em valores técnicos e éticos, livre dos tabus e preconceitos que envolvem a temática do suicídio em nossa sociedade".

MULTIPLICANDO INFORMAÇÕES

A psicóloga Soraya Carvalho adianta que o Programa Estadual de Prevenção do Suicídio prevê também a realização de cursos para profissionais da saúde geral e da atenção básica, com o objetivo de capacitar esses profissionais a identificar as pessoas em situações de risco, através da identificação dos fatores de risco, bem como dos sinais e sintomas envolvidos no suicídio, possibilitando o diagnóstico precoce e encaminhamento para tratamento especializado. Em um segundo momento esses cursos serão disponibilizados para educadores, policiais, bombeiros, etc.

O NEPS

O Centro de Informações Antiveneno da Bahia (CIAVE), centro estadual de referência em toxicologia, tem sido há 37 anos um serviço de excelência, reconhecido pela Organização Panaericana de Saúde (OPAS) como modelo de atendimento para países em desenvolvimento. Funcionando anexo ao Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), o centro tem entre as principais atividades desenvolvidas o atendimento de urgência a pacientes intoxicados e a orientação toxicológica para serviços de saúde públicos e privados, visando prevenção, diagnóstico e tratamento.

Tendo em vista que as tentativas de suicídio representavam aproximadamente 30% dos casos atendidos no Ciave, em 1991, foi inaugurado o Serviço de Psicologia, para tratar do segmento específico do suicídio. Desde sua criação, o serviço presta acompanhamento psicológico durante a internação no HGRS aos pacientes que tentaram o suicídio, iniciando na emergência, se estendendo às enfermarias, unidades de terapia intensiva (UTI) e, após a alta hospitalar, através do tratamento psicoterápico ambulatorial, pelo tempo que se fizer necessário.

Diante da complexidade do fenômeno do suicídio, ao longo dos anos verificou-se a necessidade da ampliação desse serviço de atenção psicológica ao paciente que havia tentado suicídio, para oferecer à comunidade um serviço multidisciplinar que desenvolvesse ações de caráter não somente assistencial, como também preventivo, a pacientes em risco de suicídio.

"Nesse contexto, em 2007 foi criado pelo Ciave o Núcleo de Estudo e Prevenção do Suicídio - NEPS", conta a psicóloga, "um ambulatório de saúde mental, que desenvolve ações que englobam psicoterapia, psiquiatria, terapia ocupacional individual e de grupo, enfermagem e acompanhamento em reuniões familiares de caráter informativo, além de orientação e acolhimento". Atualmente, o NEPS conta com os projetos: Espaço de Leitura: uma biblioteca destinada aos usuários; Ciranda Literária: espaço para compartilhar e discutir os assuntos dos livros locados na biblioteca; Núcleo de Cinema e Vídeo (CINEPS); Jornal Galera Vida NEPS; Oficina de Criação Literária, entre outros. A equipe do NEPS é formada por dois psicólogos, três psiquiatras, dois terapeutas ocupacionais, uma enfermeira, um Residente em Psicologia e dois apoios administrativos.

ESTATÍSTICAS

O Código Internacional das Doenças (CID) classifica as mortes por suicídio como decorrentes de lesões auto-infligidas, fazendo parte do conjunto das mortes intituladas causas externas de mortalidade, isto é, morte não provocada por doenças, ao lado dos homicídios, dos acidentes de trânsito e outros acidentes. As mortes incluídas no grupo das causas externas estão intimamente relacionadas ao contexto da violência, sendo o suicídio considerado uma morte violenta, mais precisamente, um tipo de violência praticada contra si próprio correspondendo a mais da metade das mortes violentas no planeta.

Na atualidade, o fenômeno do suicídio vem ganhando proporções alarmantes, com taxas que chegam a um milhão de mortes/ano no mundo, representando, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma média de um suicídio a cada 40 segundos, se constituindo em uma das maiores causas de mortalidade no mundo, especialmente entre os jovens.

Estima-se que as tentativas de suicídio superem o número de suicídios em pelo menos dez vezes. Considerando as subnotificações, esses números podem ser muito maiores. O Brasil, embora apresente uma taxa média anual de 6,0 suicídios para cada 100 mil habitantes, taxa considerada baixa em relação a outros países, em números absolutos, ocupa o oitavo lugar em número de suicídios no mundo, tendo registrado 11.821 mortes (9.198 homens e 2.623 mulheres) em 2012, contabilizando uma média de 25 por dia, pouco mais de 1 suicídio por hora. Entre 2000 e 2012, observou-se um aumento de 10,4% no número de mortes por esta causa, (uma alta de 17,8% entre as mulheres e 8,2% entre os homens). Nesse mesmo período, verificou-se que dentre os estados brasileiros, a Bahia foi o 2º maior estado em crescimento nos índices de suicídios, com um aumento de 10 4% em suas taxas, que saltaram, em números absolutos, de 233 (2002) para 476 (2012). Todavia, sabe-se que esse crescimento vertiginoso na Bahia deve-se a uma melhoria nos processos de notificação dos óbitos por suicídio. De acordo com a coordenadora do NEPS, metade das pessoas que cometem suicídio realizaram ao menos uma tentativa de suicídio anterior, o que faz da tentativa de suicídio um dos principais fatores de risco de suicídio. Por essa perspectiva, a abordagem, o tratamento e o cuidado dispensados ao sujeito que atenta contra a própria vida, se configuram como estratégias determinantes na prevenção de novas tentativas e do ato consumado.

Fonte: Ascom/Sesab

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Intoxicação por pó-de-mico

Continua um mistério a causa do surto que ocorreu no mês de março no município de Apuarema, interior da Bahia. A história teve início no dia 21/03, na Escola Municipal Aurino Nery, quando diversos alunos da oitava série manifestaram sinais de prurido na sala de aula causando uma pequena aglomeração naquele estabelecimento de ensino. Cerca de oito alunos manifestaram esses sinais na sala, saíram para o pavilhão e entraram em contato com turmas vizinhas  que acabaram manifestando os sintomas de prurido e urticária. O evento ocorreu se repetiu alguns dias depois. Ao todo foram mais de 40 crianças acometidas. Algumas apresentaram cefaléia. O colégio foi fechado temporariamente pela secretaria municipal de educação. As aulas foram retomadas no dia primeiro de abril sem indícios de um novo incidente. Suspeita-se que alguém tenha introduzido no local alguma substância. Pensou-se na possibilidade de ter sido “pó-de-mico”. O “pó-de-mico” consiste em tricomas (semelhante a pêlos) que recobrem as…

Ciave alerta para aumento do risco de acidente escorpiônico e fake news

Na Bahia, em 2018, ocorreram 24.714 casos de acidente por animais peçonhentos, de acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan, com 188 ocorrências em Salvador. Entre eles, o acidente escorpiônico predominou com 18.985 (76,8%), dos quais 47 se deram na capital.
No ano passado, o Centro de Informações Antiveneno – Ciave registrou o atendimento de 2.425 casos de escorpionismo. Já nessa primeira quinzena de janeiro, o Centro registrou 127 casos, 10% a mais que o mesmo período em 2018, com uma média de 9 ocorrências por dia.
Segundo Jucelino Nery, diretor do Ciave e coordenador estadual do Programa de Controle de Acidentes por Animais Peçonhentos, os acidentes escorpiônicos tiveram em 2018 um aumento de 22%, em relação ao ano anterior. Além do clima, o crescimento desordenado das áreas urbanas, a falta de saneamento básico, o desmatamento e o acúmulo de lixo, entulhos e restos de material de construção fazem com que os escorpiões procurem abrigo e alimento (insetos…

Águas vivas começam a aparecer em maior quantidade em Itajaí

Quem aproveitou a manhã de quarta-feira para caminhar pela areia da Praia da Atalaia em Itajaí teve que desviar de águas vivas. Os organismos marinhos surgiram aos montes e deixaram a areia coberta. Apesar de causarem preocupação aos banhistas, as encontradas ali não provocam as populares queimaduras, que na verdade são um tipo de envenenamento. De acordo com o Corpo de Bombeiros a espécie presente na Atalaia é a racostoma atlanticun, que não queima. Isso, porém, não significa que os banhistas devem ter contato com o animal marinho. Isso porque é difícil identificar se uma água viva é nociva ou não. Coordenador de praia da corporação e oceanógrafo, o soldado Daniel Ribeiro explica que só especialistas conseguem identificar quais espécies causam queimaduras e que algumas se assemelham muito as racostoma, mas queimam. Ribeiro explica que o surgimento das águas vivas perto da costa ocorre em função de uma série de fatores naturais. Um deles são as correntes marinhas que transportam os orga…